Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Papoilas Doces

Olá! O meu nome é Ana, tenho 32 anos, sou casada e tenho dois filhos lindos (sim, sou mãe galinha!). Moro em Lisboa, mas as minhar origens estão em Moçambique. Este blog vai servir para escrever de tudo e sobre tudo!

Papoilas Doces

Olá! O meu nome é Ana, tenho 32 anos, sou casada e tenho dois filhos lindos (sim, sou mãe galinha!). Moro em Lisboa, mas as minhar origens estão em Moçambique. Este blog vai servir para escrever de tudo e sobre tudo!

«Inegável contributo» português no turismo de Moçambique

Estas notícias são sempre tão boas de ouvir. Especialmente para alguém de raizes africanas, como eu! :)

 

O primeiro-ministro de Moçambique, Pascoal Mocumbi, elogiou o "inegável contributo" dos investimentos portugueses no desenvolvimento do sistema hoteleiro moçambicano, manifestando a esperança de que essa tendência continue nos próximos anos.

 

Com a inauguração do Baia Girassol Hotel, o grupo Visabeira passa a deter dois empreendimentos hoteleiros, uma vez que também é proprietário do Resort Indy Village (constituído por moradias e casas modulares modernas), para além de possuir um dos mais luxuosos restaurantes da capital. A reconstrução do empreendimento, que acontece mais de 20 anos depois do seu abandono, durou dois anos e foi orçado em 4,5 milhões de dólares. 


Pascoal Mocumbi falava durante a inauguração de mais um empreendimento hoteleiro do Grupo Visabeira, o Girassol Baía Hotel, situado em Maputo.
"É inegável o contributo do empresariado português, em geral, e do grupo Visabeira, em particular, no desenvolvimento do sistema hoteleiro moçambicano", sublinhou o primeiro-ministro moçambicano, acrescentando que a entrada em funcionamento daquela estrutura demonstra que "mais sucessos se somarão".


O governante destacou que a abertura do Girassol Baía Hotel é o "resultado prático" do apelo do executivo moçambicano aos investidores nacionais e estrangeiros para que se envolvam na reabilitação e criação de mais infra-estruturas no seu país.


Segundo Mocumbi a participação de grupos empresariais portugueses em empreendimentos turísticos em Moçambique mais não é do que a confirmação do forte envolvimento de capitais estrangeiros na aposta do governo de Maputo em elevar a capacidade de alojamento turístico no país.


O governante assegurou, neste contexto, que as autoridades moçambicanas vão prosseguir com as iniciativas de promoção do potencial do país no sector do turismo e no estímulo do investimento privado nacional e estrangeiro no sector. "O governo aprecia estas iniciativas e como prova disso vai continuar a incentivar a sua implementação no país", destacou o primeiro-ministro moçambicano.
Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração (CA) da Visabeira Moçambique, Paulo Varela, afirmou que a inauguração do Baia Girassol Hotel concretiza a eficácia do tipo de posicionamento e abordagem de negócios que este grupo empresarial de capitais portugueses abraçou em Moçambique.


Varela sublinhou que a materialização de projectos empresarias em Moçambique é uma prova de que o grupo Visabeira olha para o futuro de Moçambique com confiança.
O presidente do CA da Visabeira afirmou que a sua instituição vai por isso continuar activamente envolvida na criação, desenvolvimento e modernização de infra-estruturas sócio-económicas em Moçambique.
O Baia Girassol Hotel, este mês inaugurado, tem uma das mais deslumbrantes vistas sobre a baixa da capital moçambicana e sobre a Baia de Maputo, e possui 13 quartos duplos, (incluindo "suites” presidenciais e "suites” executivas), e 21 apartamentos, o que faz do empreendimento o primeiro aparthotel em Moçambique.


O grupo está também envolvido, em Moçambique, no sector de construção civil, e de telecomunicações, devendo expandir o seu leque de actividades para o ramo automóvel, onde irá representar a marca Renault. 

A entrada em funcionamento do novo hotel, consolida o controlo por parte de grupos empresariais portugueses de algumas das principais unidades hoteleiras da capital moçambicana.
O Grupo Pestana controla o Hotel Rovuma, a Teixeira Duarte, o Hotel Avenida, o Grupo Vip o Hotel Vip/Maputo, além das participações que um grupo de investidores portugueses detém no Hotel Ibís.

 

 

 

 

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D